Liveurs – Underground Reality Show


Cartas – Pingos de Chuva
29/01/2012, 04:09
Filed under: Uncategorized | Tags:

Por onde andar irei te carregar no olhar, deixando um ar distante nas pupilas, como um mistério pulsante ainda não revelado ou um enigma que nem mesmo pelo tempo foi desvendado. É nas pequenas coisas que te resgato na lembrança, coisas bobas, mas que hoje tem grande importância em meu coração, simplesmente porque tive a consciência que era exatamente isso que te tornava especial.

A vida passa rápida e às vezes esquecemos o valor e o significado que tem a presença de alguém que nos ama em nosso dia a dia, por isso quando a carência grita seu nome eu não sei o que dizer, já cansei dos meus disfarces. Concordo que talvez não desse o carinho que merecia, mas mesmo como tudo aconteceu algo ficou. São detalhes que não se podem esquecer, não é apenas falar de saudade, mas despertar a esperança pro amanhã e acreditar que o futuro traga novas responsabilidades e o que antes era o filho agora se torna o pai.

Por isso seja fiel aquilo que acredita, respeite, resgate a fidelidade das garras da desconfiança, porque a vida é cheia de armadilhas e enganos. Não vale a pena fazer quem te ama sofrer, se magoar com suas palavras duras, com seu descaso ou com sua indecisão. Não tem pior coisa que ver alguém chorar porque somos orgulhosos demais para pedir desculpa, o mundo poderia ser melhor se cada um fosse responsável pelas suas culpas.

Talvez fosse mais fácil se sentisse menos, se esperasse menos ou se levasse tudo na brincadeira, porque doe quando o coração se frustra, quando a crença é contrariada ou quando a coisa que você nunca imaginaria lhe é dada como herança. O desgosto não tem um sabor muito bom, é amargo, duro de engolir, enrosca nos dentes e não a água da paciência que o faça descer.

Mas quando chove não tem jeito, quando tocam certas musicas eu me derreto, a circunstância faz o momento e eu ainda não aprendi a me proteger daquilo que vem de dentro.  Confesso que sempre tento acreditar que vai ser a ultima vez que tudo isso acontece, mas nem bem a gente fica em paz e tudo ocorre outra vez.

“Esperavam por mim como quem espera por uma chuvarada, e bebiam minhas palavras como quem bebe a chuva da primavera. ” Jó 29:23

Anúncios


Cartas – Enganos
18/01/2012, 03:23
Filed under: Uncategorized | Tags:

Saber que está bem da tranqüilidade pra seguir adiante, porém ainda não aprendi a esconder a tristeza num sorriso ou a comer sem fome estar sentido, como um recém nascido sinto as dores do parto, quero colo, vislumbro por carinho e tenho necessidade de ter quem amo perto de mim.

Preciso perceber que alguém erradia amor do meu lado, se não eu choro pra chamar atenção, pra dizer que a vida não é em vão, pois não quero ser achado abandonado como um filho bastardo nas entranhas do destino. É estranho não contar como foi meu dia, não censurar sua roupa ou dormir e ao acordar constatar que a cama esta vazia.

Os remédios me impedem de pensar direito, fazem promessas que juntos seremos alguém melhor apenas uma triste confusão que minha cabeça cria comprando sonhos alienados a comprimidos. Quando a noite chegou eu tentei brilhar e cantar uma nova canção ao relento, mas minha alma gritava demais para conseguir fazer algo que prestasse.

Somos escravos de um amor invisível relutantes em aceitar nossos erros pelo orgulho sentido, eu juro que tentei ser alguém diferente, parecer forte quando o medo me fazia bater os dentes, que tentei parecer valente, mas era somente porque o pavor não me deixava fugir e a liberdade havia falecido a milhas daqui.

Descobrir de quem é a culpa não resolve o problema, não cura as feridas, nem apaga o passado, apenas satisfaz à razão de uma forma mórbida e sádica, quem sabe assim fica uma falsa sensação na mente de estar certo, mesmo quando o coração diz que está tudo errado. O jeito é seguir em frente mesmo sem saber para onde,mesmo sem ter planos, mesmo pela metades ou com enganos.

“Bem-aventurado o homem a quem o SENHOR não imputa maldade, e em cujo espírito não há engano. “
Salmos 32:2



Cartas – Angústia
17/01/2012, 01:59
Filed under: Uncategorized | Tags:

Se soubesse o quanto precisei de você nesses dias nunca mais ficaria longe de mim, mas minhas unhas sempre pagam o preço pela minha angústia.  Queria saber dominar os meus desejos para ter o poder de criar meus sonhos, mas eu me sinto um refém da minha carência, da minha crise de existência, um ser conspirador de ilusões passageiras que de vez enquanto sente o coração derretendo por ficar muito exposto ao tempo.

Difícil quando a gente pensa que nada mais pode nos abalar ou fazer a alma doer, mas parece que as pessoas que mais amamos sempre descobrem um jeito de tornar isso possível. Como se fosse uma necessidade de se deliciar enquanto estamos em completa miséria ou que eles dependessem das nossas lagrimas para fazer passar à seca das paixões. Tentar entender a razão é chamar a loucura para dentro de si, é gritar por socorro debaixo da água enquanto se afoga nas metáforas da vida.

Se pudesse voltar no passado, no instante que iria te conhecer, talvez mudasse a direção do meu olhar para não ver você passar e assim nunca teria me apaixonado. Nos dias normais é que as coisas acontecem, nas tardes chuvosas que o acaso inventa de brincar de escrever o destino, que aponta as pessoas e cria seus laços de espinhos e como dói ter que arrancar essas coisas da nossa vida. Sei que a dor nos faz crescer, mas por hoje já está bom, estou me sentindo um gigante que está batendo a cabeça nas nuvens.

Alguma coisa sempre faz valer a pena, duro é no momento de desespero lembrar que coisas foram essas, quando a gente afasta os moveis é que encontra a poeira da saudade e pode ver pelos vestígios deixados no chão as marcas das coisas que não voltam mais. O espaço às vezes assusta Poe medo em gente grande, deixa duvidas e cria lacunas, complicado quando o coração interroga por alguém e a gente não sabe o que responder.

Por cuidar dos meus detalhes que se tornou dono das minhas lembranças, de minhas muralhas de esperança e das manias de crianças, por isso me pego te amando mesmo quando não quero.Infelizmente temos que amar e ser amado e sem isso o relacionamento fica instável, como anjo de uma asa só ou um disco de vinil todo riscado. Às vezes me viro no avesso, mas não é a mesma coisa sem você e até Deus vem prestar contas de mim, mas para variar eu nunca sei o que dizer quando me perguntam de você.

 

“Quando em meu coração se multiplicam as angústias, vossas consolações alegram a minha alma.” Salmos 94:19



Cartas – Apego
02/01/2012, 04:58
Filed under: cartas | Tags:

Quando não te conhecia eu já sonhava com você, pedia a Deus e até perguntava as estrelas tudo na esperança de encontrar uma maneira de poder te conhecer. Imaginava os detalhes, sonhava com seus olhos, mesmo na distância do futuro sentia o seu abraço e me arrepiava pensar em todo amor que se escondia em seu corpo.

Realizava-me com meus planos, no meu mundo de sonhos, às vezes a saudade doía machucando o meu coração, mas mesmo assim continuava acreditando que um dia iria te encontrar e nisso meus olhos enchiam de lagrimas, pois nem sempre é fácil conter a emoção. Confesso que me apego fácil às coisas, pois tenho mania de achar que é você cada nova pessoa.

Confesso que de vez enquanto isso me cansa, não sei o que acontece, mas algo suga as minhas forças e me faz perder as esperanças, nesse instante esqueço do meu valor e me aventuro nas ilusões dos amores imperfeitos. Prendo-me nos laços que crio, me machuco nas armadilhas que coloco no caminho e não vejo o caráter do ser só procuro os beijos e sempre me decepciono pagando um alto preço.

Mentiras que conto a mim mesmo, para ver se de alguma forma espanto os maus pensamentos, a sua ausência é um tormento que mexe nos meus hormônios e sentimentos. Será que alguma vez nos cruzamos na rua? Será que você também está nessa busca?  Será que sente falta de cada momento, pois a saudade quando é verdadeira dói dos dois lados, como metades que juntam pra se tornar um inteiro.

Apenas peço que tenha paciência, para que Deus tenha misericórdia de nós dois e permita que a nossa história aconteça, por isso não se comprometa, até sentir que o amor em sua alma transpareça e experimente na alma que tudo que precisa já chegou. Vejo o tempo passando, o ano acabando, queria apenas poder te abraçar e ter a certeza que a solidão não vai mais roubar meus planos.

 

“Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor.”
Apocalipse 2:4



Cartas – O futuro
28/12/2011, 16:33
Filed under: Sem categoria | Tags:

Quando chorei por você não sei se merecia, apenas deixei transparecer aquilo que meu coração sentia, de repente aonde existia o fogo sobrou apenas fumaça e pelo chão das lembranças restaram algumas brasas. Já não podia aquecer-me no calor e depois do verão de nós dois o inverno da solidão chegou, secou as flores, congelou os risos e tirou da cor dos olhos tudo que deixava alegre e colorido.

Ouvi muito o meu peito falando de saudade, contando histórias de ternura com pitadas de felicidade, senti vontade de esquecer o que não tinha dado certo e me aventurar mais uma vez na ilusão daquilo que vivemos, seria perfeito se não fosse pela realidade me cobrando porque do meu valor ando esquecendo. Tropeço em meus passos e já não me encontro no meu mundo, sobra tempo e espaço, mas falta a estrela que me aponta o rumo.

A liberdade ainda me assusta, as coisas que se escondem na noite e as pessoas que passeiam nas ruas. Encontro pouco daquilo que me agrada, me sinto estranho, como se te encontrasse pouco de Deus e muito do mundo. Quando falta amor que acabamos percebendo o que é importante e o quanto as pessoas que vivem sem ele se tornam arrogantes. Sentimento de alienígena, ser diferente é se sentir mutante.

Acabamos nos refugiando em mecanismos que possam evitar a dor, ter medo de dormir e sonhar, depois perceber que ao acordar tudo não passou de uma miragem dentro da cabeça. Até mesmo o acaso aprendemos a respeitar, pois não saberia como reagir se com outro alguém te encontrar. No fundo a gente percebe que está surtando e que comprou uma passagem de ida pro fundo do poço.

Velório, caminhar pelo cemitério das desilusões, colisões de pensamentos, assassinatos de desejos, câncer em promessas e intoxicação por devorar a paixão depressa. Quando acabar até mesmo a esperança será que conseguiremos entrar no céu com alma de criança. Cansei de tentar entender, de morrer com overdose de você, agora quero apenas me equilibrar e viver, pois já percebi que não posso adivinhar o que no futuro vai acontecer.

 

“Amor, ódio, ciúme, tudo já pereceu; não terão mais parte alguma, para o futuro, no que se faz debaixo do sol.”
Eclesiastes 9:6



Cartas – O tempo
28/12/2011, 01:35
Filed under: Sem categoria | Tags:

Eu podia queixar-me com Deus porque te perdi, mas prefiro agradecer pelos tantos dias que passamos juntos. Só lamenta a partida aquele que não deu valor a cada instante, que desperdiçou a oportunidade de uma nova chance.  Porque pior que perder qualquer coisa é a sensação de nunca ter tido. Deus é amor, mas o homem é romance, ele se confunde em suas indecisões e deixa se levar pela vaidade das suas convicções.

Levanto os olhos para descobrir novas razões para ser feliz, não vou deixar me abater pelas coisas que tentamos e o destino não quis. Toda verdade tem um preço na vida, combater os defeitos para ser uma pessoa mais digna, equalizar a carne com o espírito, lutar sem sangrar e às vezes nem poder demonstrar que a dor está sentindo, construindo no invisível um tesouro e quem sabe na eternidade do amanha encontrar a princesa e seu castelo de ouro.

O mal pode seduzir-me pelos olhos, mas não deixarei tomar conta do meu coração. As mesmas possibilidades para cada caminho que se escolhe, a chance da surpresa ou da decepção, a cicatriz é o premio da guerra, premio da teimosia e das noites mal dormidas. Não quero virar as paginas do livro da vida, quero arrancá-las, colocar-las na maquina de lavar, centrifugar e deixar no varal do esquecimento para enxugar.

Todos somos poetas, porque nunca me disse nada bonito, poesia podem ser feitas de abraços, rimas feitas de carinhos, ternura conduzida pelo brilho do olhar, se soubesse que por uma simples linha de atitude poderia me apaixonar. Nunca pedi o pra sempre, nunca comprei um futuro, só queria poder abrir o presente e descobrir o que tinha lá dentro.

Resta apenas esperar o consolo de Deus chegar, que os anjos atravessem a porta do imaginar, deixar a metáfora se realizar na vida, tingir a água de azul e ver flores nascendo nas encostas da alegria. Não serei o primeiro como não fui o ultimo, passei o tempo que foi necessário para invadir seus sonhos, aplausos, pela luxuria da loucura daquilo que não entendemos, mas nesse mundo somos poeira que se espalha com o tempo.

“Olhai, vigiai e orai; porque não sabeis quando chegará o tempo. “
Marcos 13:33 



Cartas – Mais
26/12/2011, 17:54
Filed under: Sem categoria | Tags:

Quando mais precisei onde esteve, quantas noites não regressei sozinho pra casa, me perdia nas voltas da chave e na imagem que o espelho deformava. Fiz da realidade uma ilusão e comecei a confiar nas mentiras que inventava. Sou um réu confesso na prisão dos seus beijos, conservei-me cativo das coisas que sem perceber não conseguia esquecer.

Vozes do passado, insônia, engolir sem vontade de comer, ecos que diziam de que pra sempre seria minha e o futuro era uma profecia que enquanto tivesse vida você me esperaria, o amor é forte como a morte, mas não resiste quando é plantado sobre um solo de promessas feitas de mentiras.

Eu que me achava fraco, suportei mais dor do que acreditava que podia, como um velho instrumento não neguei som quando me tocavam, baile, notas, valsas, acordes e melodia. Criei telas de mundos imaginários, retratos de palavras ditadas por fantasmas desencarnados, entreguei recados a quem não conhecia e vivi historias que não eram minhas.

Cansei de procurar o amor, se ele quiser que me encontre, estarei onde sempre estive apenas não quero sofrer mais como antes. Estranho, tudo que posso dizer, o mundo é um conjunto de coisa que apenas pelos olhos não podemos desvendar, mas tudo que não zelamos o tempo destrói e Deus leva embora tirando de nossas vidas.

 Preciso de algo que seja mais que uma dose, mais que uma droga forte, que dure mais que uma noite, que seja mais que um desejo, mais que um ardente beijo. Preciso de mais que uma festa, mais que uma moça bela, mais que calor humano. Preciso de algo mais divino, algo que com a alma eu possa estar sentindo, algo mais eterno, algo mais vindo de Deus, algo mais puro.

“Por isso amo os vossos mandamentos, mais que o ouro, mesmo o ouro mais fino.” Salmos  119:127