Liveurs – Underground Reality Show


Poesia – Bobagens
21/07/2010, 04:17
Filed under: outubro09
Poderia até fingir que nada sinto
mas estaria mentindo pra mim mesmo
Me deixou triste sem imaginar quanto
pra ser sincero não precisava tanto
Parece se deliciar com a crueldade
e se torna feliz quando faz maldade
ver que atingiu o alvo traz satisfação
minha imagem é sinônimo de perseguição
E tudo isso apenas porque te amei um dia
mas seu orgulho não deixa ver a realidade
E o sentimento ficou nas velhas poesias
agora tenho que pagar a sua verdade
Como se o meu amor fosse uma divida
eu tivesse que acertar a minha parte
sem perceber nossas almas estão vazias
e deixou o ódio contaminar sua vaidade
Confesso que errei assumo minha culpa
só me sinto um tolo por sentir saudade
Mas como apagar essa vontade reprimida
perco muito tempo pensando bobagens

"O ódio desperta rixas; a caridade, porém, supre todas as faltas."
Provérbios 10:12

Site Meter

Anúncios


Poesia – Longe aqui dentro
08/07/2010, 02:55
Filed under: outubro09

Eu sei que nunca entendeu meu valor
fui mais um que em sua vida passou
Talvez nem seja tudo aquilo mesmo
saiba que quando cortou,eu sangrei
Posso fingir que nada sei sentir
que poemas são palavras com rimas
Tentar mentir na esperança de iludir
mas com você sem saber era feliz
E o que estava adormecido despertou
foi mais forte que eu e me dominou
De repente me vi refém de mim mesmo
tentei fugir, mas não teve mais jeito.
E o acaso nos encontrou outra vez
a recordação é o gosto do seu beijo
o calor do seu corpo e do momento
distante perto longe aqui dentro
Amor sublime descongela no peito
se o telefone tocar o que vou dizer
O tempo passou e aonde estivemos
mas essa noite é nossa o que faremos

"Os guardas encontraram-me quando faziam sua ronda na cidade. Vistes acaso aquele que meu coração ama?
Mal passara por eles, encontrei aquele que meu coração ama. Segurei-o, e não o largarei antes que o tenha
introduzido na casa de minha mãe, no quarto daquela que me concebeu."
Cânticos 3,3-4

Site Meter



Poesia – Quero Ser
25/05/2010, 05:24
Filed under: outubro09

Quando sentir tristeza quero ser alegria
e na escuridão quero ser a sua luz
Caso o desanimo bater serei a esperança
E se parecer impossível clamarei a Jesus
Quando sentir medo quero ser coragem
mas quando errar quero ser compreensão
Na carência da sua alma serei o abraço
O medico que tira magoas do seu coração
Quando for atacada quero ser o escudo
na fome da saudade serei seu alimento
Quando sentir sozinha faço companhia
basta fechar os olhos e serei seus sonhos
Quando em perigo quero ser seu abrigo
Na incerteza do amanha serei o futuro
Na ausência de todos seu único amigo
O anjo que salva na queda do precipício
Quando estiver doente quero ser a cura
o que observa pra você atravessar a rua
Quando estiver fraca serei sua fortaleza
o soldado que protege o castelo da princesa

"Se tiveres de atravessar a água, estarei contigo. E os rios não te submergirão;
se caminhares pelo fogo, não te queimarás,e a chama não te consumirá. "
Isaias 43-2



Poesia – Fotografia de palavras
08/04/2010, 03:51
Filed under: outubro09
Beija minha boca sem nada me dizer
fecha os olhos num lindo sonho bom
Sorri e deixa a felicidade aparecer
mostra a luz que vem do seu coração
Atrevida sua mão toca em meu corpo
arrepia a pele acelerando a emoção
Sem pudor é a magia desse encontro
duas almas que se fundem pelo chão
Delicia com sabor doce pelos lábios
lambuza os dedos te tanta satisfação
Querer mais do outro e de si mesmo
sentir pleno, bem estar, vibração
Pensar em tudo, quem sabe nada pensar
Tom sobre tom nosso acorde em formação
Deita no meu braço que te faço ninar
escuta no meu peito essa linda canção
Sutil momento e nos versos eternizar
fotografia de palavras, composição
Qual o nome pra nossa musica vamos dar
alegria que extravasa pelo coração



Poesia – Jasmim
31/03/2010, 19:37
Filed under: outubro09
Fênix renasce e morre nas cinzas
levanta voa e torna cair de novo
e sorri para não acreditar triste
a dois vive uma solidão sem fim
Se refugiando no oculto do mundo
tanto se fala porem nade se ouve
Alguma razão que possa explicar
pequeno ser, ausência do entender
Tesouro enferrujado de lagrimas
Pobre alma que vaga sem direção
Suave ardor que não cicatrizou
Nas mãos de quem nos acorrentou
Miragem de água num rio de gelo
Fogo derrete mas o frio congela
Ciclo de dor perpetua aflição
Cosmo expande no vazio da noite
Chocolate sem o sabor de doce
Chiclete que não pode mastigar
Dinheiro sem valor pra gastar

flor morta exala perfume de jasmim



Poesia – Atitude de Amor
10/03/2010, 07:07
Filed under: outubro09
Escondi dentro de mim a tristeza
para que ninguém pudesse percebe-la
Mascarando com um sorriso no rosto
para que ninguém pudesse vê – lá
Não era por alguém que estava assim
por algum conflito ou pensamento ruim
Porém não consigo conviver com injustiça
com tantas pessoas destruindo suas vidas
Como o mundo todo poderia ser melhor
se a lei fosse feitas de atitudes de amor
A alegria ocuparia o lugar da tristeza
e simplesmente não existiria mais dor
Mas parece um sonho banhado ao caos
Deus nem sempre é o caminho principal
E no fim uns vão subir e outros descer
alguns vivem ignorando que vão morrer
Sendo bom ou mal sua sorte será igual
por isso embaixo do sol nada é justo
Porque a justiça vem no juízo final
nessa hora que irá colher seus frutos



Poesia – Deus no coração
17/02/2010, 19:46
Filed under: outubro09

Não me faça falar sobre o que quero esquecer
palavras não podem desfazer o que passou
Resta apenas olhar para frente e seguir
sem se importar com as coisas que ficou
Tantas promessas feitas da boca pra fora
pedidos de desculpa proferidos em vão
Estou vivo mediante a batalha da vida
lutei sozinho apenas com Deus no coração
Foram tantas pedras atiradas sobre mim
maior que a dor era a minha determinação
Eu tentei resgatar sua alma dos feridos
apenas por amor sem esperar gratidão
E o que não tinha valor ficou tão bonito
porém era Deus fazendo sua transformação
Mas não soube manter no caminho do altíssimo
nem colocar em pratica as suas exortações
Não quis manter distancia do inimigo
o que era luz se tornou de novo escuridão
Apenas posso ouvir os gritos e os gemidos
e aceitar, pois é individual a salvação.