Liveurs – Underground Reality Show


Piano – Chopin – Op 10 n.3 – Tristesse
18/05/2012, 01:33
Filed under: Uncategorized | Tags:

Sobre a musica:

O Estudo Opus 10, nº. 3 em mi maior, apelidada de “Tristesse” (“Tristeza”), é um estudo para piano solo, composto por Frédéric Chopin em 1832. A respeito deste vagaroso estudo cantabile de caráter polifônico e legato, o próprio Chopin acreditava ser o de mais bela melodia que já havia criado. A peça se tornou famosa por entre inúmeros arranjos populares. Tanto “Tristesse” quanto “Farewell” (Adeus) são nomes dados à obra por Chopin. (Wikipedia)

Anúncios


Poesia – Boas Novas
15/05/2012, 04:42
Filed under: Uncategorized | Tags:

Trago as boas novas pra quem está perdido
pra quem se sente abandonado e com o peito ferido
eu entendo a sua dor e sei como é ruim se sentir sozinho
acordar olhar ao redor e perceber que o coração está vazio.

Trago as boas novas pra quem virou refém do desespero
pra quem não consegue encontrar algo bom em seus sentimentos
pra quem se iludiu por acreditar em promessas de mentiras
pra quem se entregou as drogas e ao excesso de bebida.

Trago as boas novas pra quem se sente desanimado e abatido
pra quem não encontra um lugar pra descansar os seus sentidos
pra quem está farto de ficar triste e de chorar sem motivo
e tem desejo de se matar porque cansou da dor de estar vivo

Trago as boas novas pra quem não consegue mais acreditar
pra quem pensa que a dor e o sofrimento nunca mais vão acabar
apenas pare por um instante e preste atenção no que eu digo
existe um Deus poderoso que te ama e quer te ver sorrindo

Trago as boas novas pra que saiba que Deus está te esperando
precisa apenas permitir e se arrepender de todos seus enganos
deixa seu coração palpitar clamando pelo Espírito Santo
que ele virá te resgatar trazendo paz, esperança e o amor do Santo dos Santos



“Respondeu o anjo: Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus, e fui enviado a falar-te e a trazer-te estas boas novas; “Lucas 1:19



Cartas – Nuvens
12/05/2012, 17:02
Filed under: Uncategorized | Tags:

Queria um abraço pra tentar desfazer o coração partido, fiz nuvens sobre minhas retinas na esperança que o amor pudesse cair do céu, esperei que alguém viesse em meu auxílio, porém ninguém apareceu. Não estava de luto, mas o sentimento de que algo morreu envolvia meus pensamentos.

Insensível o mundo não conseguiu decifrar o grito dos meus olhos, desprezou todo meu valor e me abandonou nas esquinas da solidão como se eu fosse algo descartável. Está difícil aceitar a ingratidão, tomar um último suspiro pra tentar não explodir de mágoa, olhar tantas possibilidades e perceber que todas as portas estão trancadas.

A mentira não tem poder, mas o mundo está acostumado com ela, tanto que quando alguém fala a verdade fica no ar um tom de arrogância. Cada dia uma nova chance para aprender a sobreviver, suportar a deslealdade, a falta de cumplicidade, ver indiferente a da falsidade e perceber que o mundo carece de piedade.

Por isso me lancei dentro do lago, esperando que o verde conduzisse minha vida a um plano superior, querendo ouvir uma voz que tudo vai ficar bem. Queria conseguir acreditar mais, ver além das muralhas da dor daqueles que fracassaram, da fuga dos reprimidos que estão perdidos pelos vales das vaidades seguindo a ilusão daquilo que imaginamos que somos.

Espero que algum dia tudo possa fazer sentido, mostrar que o tempo perdido valeu a pena, encontrar um lugar que possa repousar em paz, onde as bocas não julguem, os olhos não cobicem e o amor não pareça uma ilusão. Eu sei que em algum lugar deve existir justiça, que as pessoas devam dar valor a cada pequena atitude, que a dedicação e o cuidado aos detalhes iram deixar tudo perfeito.

 

“As nuvens formam um véu que o impede de ver; ele passeia pela abóbada do céu.” Jó 22:14



Poesia – O Frio
02/05/2012, 02:31
Filed under: Uncategorized | Tags:

Esse é o inverno da solidão
que corta o coração das almas carentes
que faz tremer os ossos e deixa o coração no chão
que machuca a felicidade e não tem roupa que esquente

Esse é o frio que agride quem não tem com quem se esquentar
a vida daqueles que no verão não fizeram à lição certa de amar
esse é o instante que não tem coberta vai ter que bater os dentes
pois é impossível afastar o gelo quando o vento vem de frente

Esse é a fria tempestade que arrepia os medos
que faz colocar a mão no bolso pra tentar esquentar os dedos
que traz o cheiro de naftalina pelas roupas que estavam guardadas
que tira a coragem e apenas desperta a vontade de ficar em casa

Essa é a madruga que vai gear sobre a grama
que deixa as estrelas mais brilhantes e a galáxia mais exposta
o dia em que somente os mais fortes iram sobreviver
e que ficou claro que alguma coisa precisava acontecer

Essa é a noite que teremos que esperar para ver o sol nascer
e através do seu calor observar o que antes era inerte se mover
somos escravos que sozinhos não podemos nada contra o frio fazer
essa é a mesma sensação de quando longe de Deus decidimos viver

“Eu era queimado de dia pelo calor, e de noite pelo frio, e o sono fugia dos meus olhos.“
Gênesis 31:40