Liveurs – Underground Reality Show


Poesia – Sereia do mar
30/06/2010, 03:29
Filed under: Sem categoria | Tags:

Ao inodoro da tempero seu perfume
transfigura a face com suas cores
Nos cabelos solta os leões ferozes
feito de ouro são seus calcanhares
Formosa pele com ar de diamante
dominação suplicante do desfalecer
Melodia temática com voz de vida
frases feitas da atitude de viver
Surreal, utopia, ilusão positiva
Mulher com olhar voraz de menina
Sereia do mar, paisagem primitiva
Encanto, desejo, fabula atípica
Sinceridade pactua com lealdade
Alvo imóvel, a presa mais fácil
Sem tiros ou balas sempre acerta
com sua presença tudo se desperta
Nome que ninguém sabe pronunciar
mistério, segredo, pura alquimia
Encarnação do sonho em realidade
liquido que produz sorriso nos lábios

"As suas faces são como um canteiro de bálsamo, como flores perfumadas;
os seus lábios são como lírios gotejando mirra com doce aroma. "
Cânticos 5:13

Site Meter

Anúncios


Poesia – Confia
29/06/2010, 05:48
Filed under: poesia3

Borbulhou dentro da alma
uma oração que não conhecia
a voz do Senhor no meu ouvido
a paz envolvendo de alegria
Tudo vai ficar bem, ele dizia
não tenha medo, apenas confia
Eu sei de tudo que tem passado
e as lagrimas que tem derramado
Olhe quantos anjos do seu lado
apenas esperando o seu chamado
Vamos filho amado se arrependa
esqueça a culpa, ergue a cabeça
Ninguém te aceita, sem problemas
eu te amo de qualquer maneira
Tenho seu nome em minhas mãos
tira todo esse ódio do coração
Deixa ser teu Deus meu filho
que cuidarei dos seus inimigos
Sou a lei e a justiça da vida
deixa glória habitar seus dias

"Dá-me, filho meu, o teu coração, e os teus olhos observem os meus caminhos. "
Provérbios 23:26

Site Meter



Poesa – Apressa-te
28/06/2010, 03:53
Filed under: poesia 6
Desculpe amor por ser imperfeito
e não saber sorrir quando está doendo
Bem que eu queria estar sempre feliz
porém hoje tentei, mas não consegui
A razão escapou-me entre os dedos
conflito geral dos meus sentimentos
Até queria explicar mas não entendo
algo dentro de mim está morrendo
Ao invés das palavras o silêncio
no escuro o brilho está se perdendo
Os anjos não conseguiram resgatar
aonde está aquele que pode salvar ?
Não sou imortal por isso apressa-te
eis que miserável caminho pela vida
de esmola de carinho e resto de amor
não tenho nenhum colo para dispor
Quando durmo o sonho tornou pesadelo
acordo assustado,abraço o travesseiro
Na esperança que tudo possa ficar bem
Oh Deus porque clamo e você não vem

 
"Apressai-vos em me atender, Senhor, pois estou a ponto de desfalecer. Não me oculteis a vossa face,
para que não me torne como os que descem à sepultura."
Salmos 143:7

 

Site Meter



Poesia – Remédio ll
25/06/2010, 17:11
Filed under: Sem categoria | Tags:

Toma-me para acalmar sua dor
peito ferido sangrando de amor
Aumento da temperatura, o suor
em alguns minutos já sente melhor
Brinda pra comemorar a presença
no corpo do que não sai da cabeça
Hipocondria involuntária de mim
sintoma que espera pelo meu sim
Engole-me com água pra descer
comprimido causador de euforia
Tomar em jejum de oito em oito horas
ou quando estiver à beira da loucura
Eterna anemia, bula feita de poesia
prescrição do que deseja ter um dia
Travesseiro irritante e inquietação
olhar delirante seguido de alucinação
A febre desperta um filme antigo
a possibilidade de contracenar comigo
efeito colateral rios de lagrimas
a espera do inesperado em sua casa

"Ninguém quer tomar o encargo de curá-la, não há para ti remédio nem emplasto."
Jeremias 30,13

Site Meter



Poesia – Nos seus Olhos
24/06/2010, 19:16
Filed under: poesia julho 09
Foi nos seus olhos que me perdi
vendo a dor que neles continham
Deu vontade de cuidar de você
ajudar a achar o rumo da alegria
Um ser vivo que anda feito morto
com falsos sorrisos sobre o rosto
Tão bonita por fora e feia dentro
na boca futilidades do momento
Mas o que falta para ser feliz ?
Tem tudo que os outros desejam
roupas, festas, caras e bebidas
mas convive com vazio na alma
Não pode mentir para si mesma
e nos amores se sente sozinha
Vive a solidão do tudo e nada
na rua procura a paz perdida
A felicidade soa como utópia
o excesso trás satisfação na vida
Passa maquiagem na sua tristeza
para ninguém perceber as feridas

"A candeia do corpo é o olho. Sendo, pois, o teu olho simples, também todo o teu corpo será

luminoso; mas, se for mau, também o teu corpo será tenebroso."
Lucas 11,34

Site Meter



Poesia – Arco-Íris
23/06/2010, 06:52
Filed under: poesia2
Saborear ainda dessa mentira
degustar sem pressa de acabar
Energia radiante, fonte de vida
delírios que não posso evitar
Você me encontra em pedaços
mas em suas mãos faz inteiro
Sem certeza do certo ou errado
nem se na lua existem coelhos
Ficar sem pensar é impossível
alucinação, síndrome do gostar
às vezes percebo estou sorrindo
efeito distante a me envenenar
Ultimo suspiro ou leve brisa
tentação com hora de querer
Vontade regrada e ansiolítica
mil coisas que ainda quero fazer
Quem sabe o destino possa juntar
definição que não atrevo dizer
Arco-íris que fiz para decorar
o percurso que separa eu e você

 
"como a lua que existirá sem fim, e o arco-íris, fiel testemunha nos céus."
Salmos 89,37

Site Meter



Poesia – Enquanto Viver
22/06/2010, 04:28
Filed under: poesia4
Mesmo que um dia tudo se acabe
que o sol não brilhe nas alturas
e o vento arranque todas as folhas
enquanto existir vida, eu serei sua.
Mesmo que vague entre os dias
e a incerteza não mostre a saída
que o reino seja feito de ruínas
enquanto viver, terei esperança
Mesmo que a coragem me abandone
que tudo a minha volta se troque
que a carência de ti me devore
enquanto eu respirar, tentarei.
Mesmo quando todos condenarem
o insano gostar que tenho por ti
ainda assim continuarei a tentar
enquanto a chama queimar em mim
Mesmo que o psicólogo se canse
que Deus nunca mais me perdoe
por onde andar irei te seguir
enquanto amor no peito sentir

"Ele permanecerá enquanto existir o sol e enquanto durar a lua, através das gerações."
Salmos 72, 5

Site Meter