Liveurs – Underground Reality Show


Poesia – Sinal
31/05/2010, 06:19
Filed under: poesia 6
Você bem sabe como me fazer sorrir
alegria que parece não mais voltar
Sem saber onde encontrar no mundo
alguém com capacidade para consolar
Tumultuou as idéias e o meu coração
pensamentos que rondam pela cidade
Indefinidos vagam sem saber pra onde
nem nos braços de quem se esconde
Sem realejo passou fúnebre cortejo
e a fantasia deu lugar para a ilusão
Sem Destino, sem seresta, sem meios
o medo do que é meu virou decepção
Ausente de coragem não deixa sinal
nem migalhas para marcar o caminho
Se tiver um instante pare pra pensar
e recordar de tudo aqulo que sentimos.
Se existir amor solte fumaça pelo ar
o que era dois agora está repartido
Como uma cólica na alma sem remédio
a vida que segue no sentido invertido

"Mas, agora, já não tenho com que me ocupar nestas terras; é como se há muitos anos tenha saudades de vós"
Romanos 15,23



M Lua NOVA – Amor e Ciumes –
28/05/2010, 09:39
Filed under: Entretenimento
Pregação Sobre Ciumes e Amor, Missão Lua NOVA 27/05/10

 

 



Poesia – Fofocas
26/05/2010, 20:21
Filed under: poesia 6

Lembrar de você é sentir tristeza
reviver o passado dentro da cabeça
É sempre ter alguém com algo a dizer
porém coisas não muito boas de você
Mas eu sei bem o que nós vivemos
é nisso que eu gosto de acreditar
Somos humanos e todos imperfeitos
ninguém tem o direito de nos julgar
Eu prefiro lembrar do abraço apertado
do coração batendo no peito acelerado
Dos beijos calorosos dentro do carro
dos nossos olhos brilhando apaixonados
E não importa quantas coisas falarem
eu sei de tudo que senti e que passei
Como poderia isso numa palavra sumir
todos querem dentro de mim te destruir
A saudade existe e não é de mentira
o amor que falta na alma dói na carne
Não importa se o pra sempre teve fim
importante são todas as coisas que vivi

"Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida.
O choro pode durar uma noite; mas alegria vem pela manhã como cântico de júbilo."
Salmo 30: 5



Poesia – Quero Ser
25/05/2010, 05:24
Filed under: outubro09

Quando sentir tristeza quero ser alegria
e na escuridão quero ser a sua luz
Caso o desanimo bater serei a esperança
E se parecer impossível clamarei a Jesus
Quando sentir medo quero ser coragem
mas quando errar quero ser compreensão
Na carência da sua alma serei o abraço
O medico que tira magoas do seu coração
Quando for atacada quero ser o escudo
na fome da saudade serei seu alimento
Quando sentir sozinha faço companhia
basta fechar os olhos e serei seus sonhos
Quando em perigo quero ser seu abrigo
Na incerteza do amanha serei o futuro
Na ausência de todos seu único amigo
O anjo que salva na queda do precipício
Quando estiver doente quero ser a cura
o que observa pra você atravessar a rua
Quando estiver fraca serei sua fortaleza
o soldado que protege o castelo da princesa

"Se tiveres de atravessar a água, estarei contigo. E os rios não te submergirão;
se caminhares pelo fogo, não te queimarás,e a chama não te consumirá. "
Isaias 43-2



Poesia – Vulnerável
23/05/2010, 07:36
Filed under: poesia agost o09
Porque tudo tem que ser tão difícil
não consigo acostumar com a solidão
Preciso tanto de um pouco de carinho
a tristeza tomou conta do meu coração
Comer por precisar e não por vontade
chorar pelas coisas que tenho saudade
Minha alma está ferida e vulnerável
um corpo vivo sem nenhuma vontade.
Sinto a carência tentando me sufocar
tampando meus olhos e impedindo de ver
Quero falar mais ninguém para ouvir
tenho a certeza de que nada vai mudar
A noite fria e o céu cheio de estrelas
será que eu sou único a sentir assim?
Não quero fugir, mas não vejo alternativa.
usar o resto de força que sobrou em mim
Sem saber no que confiar ou esperar
a esperança perdeu o brilho e encanto
Sinto como se estivesse perdido nos anos
Senhor envia para me salvar seus anjos

"Vou enviar um anjo adiante de ti para te proteger no caminho e para te conduzir ao lugar que te preparei.Está de sobreaviso em sua presença, e ouve o que ele te diz. Não lhe resistas, pois ele não te perdoaria tua falta, porque meu nome está nele."

Exodos 23 ,21-22


Poesia – Ex-Familia
22/05/2010, 01:17
Filed under: poesia 6
Guardo em mim o que nunca saberá
algo que ninguém poderia substituir
Você era o meu raio de sol vivido
Nos dias cinzas o que me fazia sorrir
E realmente eu nunca tinha percebido
o quanto eu te amava e queria seu bem
Como puderam levar você pra longe
e agora como poderei me defender?
Eu queria tanto que fosse meu herói
porem você nunca esteve presente
Recordo as vezes que pegava no colo
como queria que durasse para sempre
Eu era criança e não podia compreender
que sua partida afetaria meu futuro
Ate porque juntos tínhamos de tudo
porque trocou sua familia pelo mundo
Não é fácil mais tenho que entender
porque na mesa seu lugar esta vazio
E pra nossa casa você não volta mais
sem saber eu precisava do seu carinho
Agora você pode fazer o que quiser
ate promessas que nunca vai cumprir
Eu queria ficar todos os dias com voce
mas somente no sabado você pode vir

 
"Pode uma mulher esquecer-se daquele que amamenta? Não ter ternura pelo fruto de suas entranhas?
E mesmo que ela o esquecesse, eu não te esqueceria nunca."
Isaias 49-15


Poesia – Tanto Faz
20/05/2010, 04:55
Filed under: poesia julho 09
Nublada a noite seguiu adentro
chovendo por dentro e por fora
Lastimas olhar triste no rosto
Momentos conturbados sonhos mortos
Livre vagando sem ter para onde ir
se adaptando a realidade, o existir.
O sol vai nascendo com ele à manha
cinza as nuvens escondem sua luz
Deito na cama e esta sobrando espaço
no peito bate um coração em pedaços
Clamo a Deus para superar esse dia
pedindo misericórdia pela minha vida
Muitos fogem na dor pro prazer do mundo
eu enfrentei a tristeza bem de frente
Suportei sem cair cada golpe da vida
somente o tempo para curar as feridas
Agora realmente tanto faz o passado
os relacionamentos e os porta-retratos
É mudar as fotos e seguir em frente
porque já basta o mundo pra magoar a gente

"Vede que ninguém pague a outro mal por mal. Antes,
procurai sempre praticar o bem entre vós e para com todos "


Tessalonicenses 5 – 15