Liveurs – Underground Reality Show


Poesia – Jasmim
31/03/2010, 19:37
Filed under: outubro09
Fênix renasce e morre nas cinzas
levanta voa e torna cair de novo
e sorri para não acreditar triste
a dois vive uma solidão sem fim
Se refugiando no oculto do mundo
tanto se fala porem nade se ouve
Alguma razão que possa explicar
pequeno ser, ausência do entender
Tesouro enferrujado de lagrimas
Pobre alma que vaga sem direção
Suave ardor que não cicatrizou
Nas mãos de quem nos acorrentou
Miragem de água num rio de gelo
Fogo derrete mas o frio congela
Ciclo de dor perpetua aflição
Cosmo expande no vazio da noite
Chocolate sem o sabor de doce
Chiclete que não pode mastigar
Dinheiro sem valor pra gastar

flor morta exala perfume de jasmim

Anúncios


Poesia – Pão da Vida
30/03/2010, 20:30
Filed under: poesia junho 09
Desejar algo quando se tem tudo
 alimento da alma e não da matéria
 Viver o destino de alguém por engano
 coisas fora dos sonhos e dos planos
 Sem entender que tudo tem seu tempo
 esperar em Deus mas para onde vamos ?
 Glorifico teu nome meu eterno senhor
 com a certeza que sem ti nada sou
 Miserável fico longe do seu amor
 e por tantas vezes você me perdoou
 Mesmo na duvida de sua existência
 com sua misericórdia de mim cuidou
 Derrama seu espírito sobre as feridas 
 alimenta minha alma desse pão da vida
 Na carne me reveste da sua armadura
 Pois no dia a dia a guerra continua
 Existem inimigos em rosto conhecidos
 Santifica pai esses irmãos perdidos
 Eles não sabem o que fazem,glorifica
 afasta deles satanás e suas armadilhas



Poesia – Cumplicidade
25/03/2010, 04:14
Filed under: poesia7
Dormi com você nos pensamentos
e te encontrei nos meus sonhos
Cúmplice de um crime sem vitima
descumprindo as regras do jogo
Torrente de amor sobre o rosto
energia radiante sondando a alma
Querer e acreditar estar louco
sem poder, desejar mais um pouco
De repente sinto um frio na espinha
uma sensação que aperta a barriga
Vontade de acontecer sem poder
a distância que separa eu e você
A carne é pouca pra tanto sentir
por dentro tudo se verte em calor
Vontade de poder voar e perseguir
para num único destino seguir
Assim sem pressa de se separar
sem saudade ou medo de acordar
Algo surreal mas ótimo de sentir
pra todo sempre te quero aqui



Poesia – Refugia
23/03/2010, 02:13
Filed under: poesia junho 09

Refugia minha alma altíssimo
veja as feridas no meu coração
Tenho tanto medo quando vem a noite
o mal me arrastou para a escuridão
Escuta minhas preces Jesus Cristo
manda seus anjos para cuidar de mim
estou arrependido não importa o castigo
na ciladas do inimigo não será meu fim
Espírito de amor, paz e misericórdia
sopro de vida, senhor dos destinos
Perdoa esse filho pai amado e querido
não suporto mais sentir meu peito ferido
Eu sei que poderia ser melhor e não fui
que me iludi com os prazeres do mundo
Hoje além da carne me dói os ossos
estou arrependido me resgata desse poço
Confio em ti e lhe devolvo minha vida
apenas para junto de você poder estar
Testemunhando sobre seu santo nome
a quem não consegue pra casa voltar



Poesias – Aguas
18/03/2010, 08:49
Filed under: Uncategorized
Muitos se afogaram em suas águas
corpos inertes que flutuam no espaço
Sem saber se devem subir ou descer
na realidade sem saber o que fazer
Procurando encontrar se perderam
tentando ver sua imagem no espelho
Sendo envolvido por todos os lados
transbordando de amor seus pedaços
Descobriu no underground outro mundo
verdades vivas que pareciam absurdos
Sensações doces que podem enlouquecer
colapso do que você entendia ser prazer
Palavras duras com palavras de carinho
A tribulação mudou todo seu destino
Revelando defeitos onde era perfeição
Criando a desordem dentro do coração
E todo aquele mar se resumiu a lagrimas
deixando a vontade de mergulhar nas águas
O sol secou as roupas mas não as lembranças
e enquanto viver ainda existira esperança



Poesia – Proteção
12/03/2010, 06:08
Filed under: poesia julho 09
O vento frio corta minha boca
deixando pálido o tom da pele
Inebriante a loucura na mente
pensamento assombra meu corpo
Nenhuma blusa pode me aquecer
coração de gelo bate no peito
cortante sangue corre na veia
sensação clara de estar morto
Horror espalhando sentir medo
doendo além da alma nos ossos
Tenho as palavras sem socorro
de fora não se vê o confronto
Batalha, guerra e os demônios
a luta pelo controle do corpo
Usando de quem ama pra atacar
confuso sem conseguir confiar
Correntes espalhadas no chão
marcas das algemas nos pulsos
Angustia, o pavor e opressão
ajuda o Deus dai-me proteção



Poesia – Atitude de Amor
10/03/2010, 07:07
Filed under: outubro09
Escondi dentro de mim a tristeza
para que ninguém pudesse percebe-la
Mascarando com um sorriso no rosto
para que ninguém pudesse vê – lá
Não era por alguém que estava assim
por algum conflito ou pensamento ruim
Porém não consigo conviver com injustiça
com tantas pessoas destruindo suas vidas
Como o mundo todo poderia ser melhor
se a lei fosse feitas de atitudes de amor
A alegria ocuparia o lugar da tristeza
e simplesmente não existiria mais dor
Mas parece um sonho banhado ao caos
Deus nem sempre é o caminho principal
E no fim uns vão subir e outros descer
alguns vivem ignorando que vão morrer
Sendo bom ou mal sua sorte será igual
por isso embaixo do sol nada é justo
Porque a justiça vem no juízo final
nessa hora que irá colher seus frutos