Liveurs – Underground Reality Show


Hello world!
29/09/2009, 05:25
Filed under: Uncategorized

Welcome to WordPress.com. This is your first post. Edit or delete it and start blogging!

Anúncios


Poesia – A casa
28/09/2009, 21:21
Filed under: poesia agost o09

Retorno pra casa, a solidão a me esperar
tanto queria dizer mas ninguém pra conversar
Dentro além de mim mora a poeira e sujeira
que ficam sobre os moveis e as cadeiras
É meia noite e relógio marca 3 da tarde
a tinta descascou quase toda na parede
Em cada cômodo uma historia de abandono
e pensar que um dia tudo aqui foi feliz
Na foto o vermelho da blusa virou rosa
mas ainda posso ver que existiu um sorriso
Alma de uma casa são as pessoas que habitam
Fantasmas me assombram,sou o único que ficou
Alguns Deus chamou outros o pecado levou
O destino é algo engraçado,passado, rancor
Lá fora as plantas e flores crescem livres
as folhas mortas e as cartas pelo chão
No guarda roupa, modas de outra estação
As rugas pelo corpo lembram minha idade
Tento ver pela única lâmpada que se acende
A bíblia aberta na cabeceira parece um enfeite
Sem entender que a salvação está na minha frente



Poesia – Vaso de Luz
18/09/2009, 18:28
Filed under: poesia agost o09

Busca a mim, vaso de luz
semeia amor em meus campos
Sem medo da seca e do frio
pois sabes que estou contigo
Nas duvidas e nas incertezas
mesmo quando você não mereça
Te amarei ainda mais nessa hora
estou com você, não temas
Purifica seu pensar na palavra
expulsa de ti todo ódio e raiva
Se comporte como o filho(a) de Deus
sabendo se redimir e pedir perdão
Agradeça o alimento e a moradia
confia a mim o intimo da sua vida
Clama e peça o meu nobre espírito
através da simples e singela oração
Em suas posse não seja soberbo
divida sempre sua caridade e o pão
Pois a obra não é feita de dinheiro
mas sim de paz, fé e amor no coração



Poesia – Evidências
15/09/2009, 20:04
Filed under: poesia agost o09

Vasculha minha vida procurando evidências
provas do meu amor,porque duvida das palavras
Cada beijo, cada momento que juntos vivemos
parecem que em sua memória não valeram nada
Procura no horizonte maneiras de esquecer
em outros lugares encontrar um novo alguém
Sufocando toda aquela ternura que sentimos
como se eu fosse a razão de não conseguirmos
Partiu em disparada sem olhar para trás
como se o simples existir fosse incomodo
Desviando seus caminhos para longe de mim
sempre acreditando que é melhor ser assim
Nem mesmo todo o pranto que se deu na noite
pode aliviar por um instante nosso amor
Como é difícil deixar de lado algo único
encontrar uma porta aberta para o futuro
No fundo só queria a certeza de poder te ver
que nada no mundo iria me separar de você
Mesmo sabendo que o pra sempre acaba um dia
desejo estar ao seu lado até findar da vida



Poesia – Recordação
11/09/2009, 06:42
Filed under: poesia agost o09

Na noite se perde nos pensamentos
por não saber se deve partir ou ficar
Procura dentro de tudo que vivemos
alguma coisa para poder se contentar
Agora é tarde nada parecer ter sentido
a distância e o tempo doe no coração
As estações sempre mudam lá fora
Dentro de ti tudo parece ser recordação
E ninguém poderá arrancar o que passou
Nem por um breve momento isso muda
Lagrimas as vezes rolam como a chuva
Quando cruzamos encontra seus medos
Nada parece ter graça ou sentimento
a vaidade se esconde nas suas roupas
Não vive a tristeza mas não é feliz
por ainda amar acabou ficando assim
E nenhum amigo será capaz de entender
nenhuma boca poderá se quer satisfazer
Eu sei que se respirar fundo pode sentir
meu perfume envolvendo o seu existir



Poesia – Ciladas do Destino
09/09/2009, 20:05
Filed under: poesia agost o09
Quando sol nascer estarei longe
rastro de dor se oculta na noite
em cada curva confundo a maldade
na esperança que não me alcance
Está além de perdoar ou esquecer
ou do tempo que possa acontecer
Quanto mais penso menos entendo
quero dormir quem sabe esqueço
A lembrança arrasou meu sentidos
tornou o presente algo indefinido
A chuva carrega as casas lá fora
mas nem assim você saiu de mim
Sei que poderíamos ir mais longe
mas você estacionou no horizonte
Me sinto estranho nem sei dizer
como se alguém acabasse de morrer
Porém sem temer as ciladas do destino
sobrevivo a solidão e vou partindo
Se assim que tem que ser assim será
confio em ti,sei que não me abandonara

 


Poesia – Mesmo sem Entender
04/09/2009, 19:39
Filed under: poesia agost o09
Não sei entender as razões de te amar
tão pouco tempo você dominou meu ser
Quero contigo por toda a vida ficar
pois torna mais alegre o meu viver
Parece ilusão,porém não sei explicar
mas é bom demais o que sinto por você
Diferente de tudo que senti um dia
tornou o passado algo fácil de esquecer
Mesmo que o mundo mude e algo aconteça
a saudade jamais deixará que te esqueça
O que antes era vazio , hoje é paixão
descontrole total dos sentidos, emoção
Saiba que nunca amei alguém como te amei
que apenas nos seus olhos me encontrei
Por isso não canso de admirar seu sorriso
escutar sua voz, a paciência que tem comigo
Semeando sonhos bem simples de viver
pois tudo que  preciso se resume a você
Parece um milagre, uma linda obra de Deus
que faz eu te amar mesmo sem entender