Liveurs – Underground Reality Show


Poesia – Pobre de Espirito
28/08/2009, 05:26
Filed under: poesia agost o09

De que adianta falar a lingua insana dos ricos
se vestir das roupas mais sofisticadas
Frequentar as festas top e badaladas
Ouvir house durante toda a madrugada
Adorando beber um porre, encher a cara
estar com as pessoass mais populares e faladas
Gastar dinheiro sem se preocupar com nada
viajando sem pressa de voltar para casa
Se fazendo forte ao ponto de esnobar Deus
achando dono do mundo pelo que o pai te deu
Mostrar algum sorriso depois de suas drogas
ser apenas aquele que sempre colou na escola
Vivendo a base de remedio e psicologo
desconfiando de todo mundo, não tendo sonhos
Acreditando que tudo se sustenta na beleza
achando o maximo e cego da própria decadencia
Agora me diga com sinceridade se é feliz ?
se sente realizado por tudo que você já fez
Deveria entender que está ilusão não leva a nada
hoje você julgou, por Deus sua vida amanha será julgada

Anúncios


Fotos – Liveurs 104 Anos Assis
20/08/2009, 20:41
Filed under: Uncategorized
 DVD_VR-23 DVD_VR-10    DVD_VR-14 DVD_VR-15  DVD_VR-25DVD_VR-26


Poesia – Contornos
14/08/2009, 19:29
Filed under: poesia agost o09

A saudade ganhou força no abraço
despertando um sorriso no rosto
Tanto carinho espalhado no tempo
o momento esperado do conforto
Palavras de silencio foram ditas
o fogo do amor queimando no corpo
Olhares apaixonados sem despedida
o inicio do que parecia um sonho
Sinto-me flutuando em seus braços
Seu toque, seus beijos, seu gosto
A metade que completa minha vida
o mundo ficou inerte num segundo
Toda paz agora pode ser entendida
a fragilidade em seus contornos
A mistura de nossa pele,a química
delicia deslumbrando nos olhos
Descontrole total dos sentidos
Maximo do que se consegue sentir
Duas almas compoe um único corpo
a razão para se viver e existir

controno



Poesia – Tatuagem
13/08/2009, 02:29
Filed under: poesia junho 09

Na sua pele tem as marcas do passado
que nem mesmo o tempo poderia apagar
Ainda que me tirasse dos pensamentos
o seu corpo jamais iria me esquecer
Eu estava lá quando elas se formaram
seu futuro nem conhece o significado
Me sufoca e me cala dentro do peito
e quando dorme me liberta nos sonhos
De olhos fechados não corre perigo
sem segredos pode me amar novamente
E dentro do algo mais faltam palavras
o sorriso não habita seus extremos
Pode me negar 30 vezes durante o dia
e condenar 70 vezes durante a noite
Poderia dizer pra todos que esqueceu
declarar seus planos de felicidade
Mas deixa claro uma coisa pra mim
como fez parar de bater seu coração?
O Amor não é feito por um pensamento
não tem razão de existir e nascer
O Amor não é criado sobre conceitos
e não é apenas a quem se pode ter
Simples traços pretos no seu corpo
contam as historias entre eu e você



Poesia – Salmos 151
04/08/2009, 08:50
Filed under: poesia7
Senhor soberano , justo e sincero
pai criador, onipotente, o universo
Manifesta os dons do seu espírito
declara-me instrumento de sua gloria
Radia sua sabedoria me ensina ouvir
me de discernimento pra saber falar
Despeja seu espírito até embriagar
qualquer descrença que possa existir
Para que no seu colo possa repousar
esquenta meu corpo, fazer fluir em ti
Louvado que habita sobre o altíssimo
refugia minha alma espanta meus medos
Cobre com seu manto qualquer sortilégio
faz da santidade meu caminho reto
Senhor que habita os vivos e os mortos
onde não mais termina e sim começa a vida
Desperta suas escolhas nesse seu filho
que deseja trazer a luz onde há trevas
Permita que possa reacender toda chama
flamejar novamente a unção do seu amor
Extinguir a dor e exterminar as moléstia
sobre sua intercessão alcançar prodígios
Senhor Deus de joelhos humildemente suplico
Tenha piedade, misericórdia e compaixão
Sou pecador , imperfeito a ti confesso
mas sobre sua sombra posso ser a perfeição