Liveurs – Underground Reality Show


Poesia – Jardim da Solidão
31/05/2008, 16:47
Filed under: Sem categoria | Tags:
Hoje lamenta sua ausência aqui
eu tive que aprender a sofrer
Ontem me lembro que estive ai
agora eu sempre tento esquecer
Ninguém nunca vai poder dizer
que pode sobreviver de um amor
Sem lutar contra os pensamentos
tentando não recordar o que passou
Nem sempre consigo ser valente
as lagrimas inundam meu coração
Passa o tempo e chove a chuva
me fez rei para morar na prisão
Queria apenas ter boas recordações
perder logo o gosto do seu beijo
Diga Deus qual caminho mais curto
e tão breve vai me ver correndo
Não tenho planos e nem destino
minhas rodovias não tem direção
Pouco me importa onde estou indo
estou a procura de um meio sorriso
Que seja breve ,que seja tímido
como uma rosa no jardim da solidão

nick



Poesia – Disfarces
26/05/2008, 19:11
Filed under: poesia4
Pintei o cabelo
passei esmalte nas unhas ruidas
escolhi uma bela roupa
mas não me sinto bonita
Subi no salto
vesti uma saia curta
Peguei as chaves
e coloquei o batom dentro da bolsa
liguei o carro para seguir a vida
Sintonizo o radio
quero escutar uma canção de despedida
Os carros estão passando
luzes em minha direção
Uma lagrima borra meu rosto
malditas recordações
Todo mundo parece sorrir
eu procurando um novo disfarce
Abaixo o espelho acendo a luz
e dou um retoque na maquiagem
Disfarço a tristeza no bar
alguns homens pedem atenção
meu pensamento sempre em você
ninguem parece tão bom
Agora percebo que nem isso tem graça
amargo engulo mais do que posso
Mais uma dose de esperança
Mundo gira e você roda comigo
Com isso ainda mais incertezas
Meu cabelo cheira cigarro
o salto machuca os meus pés
Parto sem olhar para trás
abro a carteira e pago a conta
que surpresa
dentro dela uma foto sua.
Agora não tem mais jeito
a mascará caiu
e no fundo todo mundo sabe
que eu só te queria aqui.

DSC01195



Poesia – Informações
26/05/2008, 02:53
Filed under: poesia3
Como um grito de desespero
a dor que gera cada pensamento
Informações sobre seu passado
perturbam minha consciência
As palavras vieram me dizer
coisas que ofuscaram o amanhecer
Não sei o que é a verdade
quantos estiveram com você
Seria exclusivo ou compartilhado
amor recheado de mistérios
caminhos tortuosos confesso
doloroso, sombrio e traiçoeiro
O frio corta minha boca
as lagrimas gelam meu coração
Nada no céu me da esperança
milhões de pontos na escuridão
Devo lamentar ou aceitar
tudo queima dentro de mim
Mas só compreender o que passou
quando o tempo quiser assim

DSC01179DSC01216



Poesia – Ex Amor
22/05/2008, 20:50
Filed under: poesia4
Doe pensar que outro vai estar
Com alguém que tanto amei
Recebendo os meus carinhos
Ganhando os beijos que ganhei
Eu sei que o tempo vai passar
e carregar tudo que nós tivemos
mas é difícil não lamentar
foi tão lindo o que vivemos
Acho que ninguém pode explicar
porque as brigas aconteceram
pelo momentos que nos passamos
felizes ,tristes e verdadeiros
Nem mesmo as madrugadas
poderiam ser mais as mesmas
Você era mais que uma amiga
ficávamos no msn a noite inteira
Mas agora tenho que seguir
você soltou da minha mão
Ando meio perdido confesso
Não me acostumei com a solidão
Espero que seja feliz amor
de mim não posso nada dizer
Estou tentando me adaptar
e novamente minha vida viver

DSC01244

 


Poesia – Hora de Vencer
12/05/2008, 21:43
Filed under: poesia 6
Disfarça a tristeza num sorriso
 esconde a insatisfação no olhar
 Não existe caminhos para viver
 nenhuma boa causa pra se lutar
 Covarde mascará coração partido
 em cada detalhe oculto do tempo
 Tente esquecer momentos bonitos
 coisas que nunca mais aconteceram
 Fragilidade eu procuro um esconderijo
 rumo incerto muitas vezes do querer
 Desespero para conversar com amigo
 sabendo que palavras não podem trazer
 São os meses que passam sem sentido
 Janeiro ou Fevereiro qual vai ser
 O dia ao qual sua mãe te pariu
 para alguém resolver se lembrar de você
 De que adianta participar desse ciclo
 onde no fim você sempre vai perder
 Parece que as vezes tudo é castigo
 e que nunca vai chegar hora de vencer.
 DSC01158